Now Economy

Está pronto para a Now Economy?

Não há volta a dar, as empresas precisam estar em constante e rápida transformação para cumprir com as expetativas dos consumidores.

Do Retalho à Indústria, passando pela Área da Saúde e até ao Turismo, a comunicação transparente, em tempo-real, é o segredo e a vantagem competitiva estratégica no mundo dos negócios. Os gastos mundiais em comunicações dobrarão até 2020.

Mas afinal, o que é a Now Economy?

A economia do AGORA é o novo ecossistema de negócio digital, impulsionado por comunicações difundidas, dispositivos móveis inteligentes e Cloud Computing. A tecnologia e a velocidade do digital está a revolucionar a forma como as pessoas consomem, comunicam, colaboram e envolvem-se, tanto na sua vida pessoal como profissional. Esta nova realidade está a permitir a entrada de novos modelos de negócios e está a desestabilizar indústrias inteiras.

Efeito Amazon e o novo consumidor Omni-Channel

A sua conceção está diretamente relacionada a exigência do novo consumidor em querer o produto certo, à hora certa. Este novo paradigma está a redefinir a cadeia de distribuição convencional e deve ser encarado com seriedade por todas as empresas. A forma como compramos mudou com a mesma rapidez com que os nossos dedos podem pressionar o botão de checkout. É por causa destas mudanças que os consumidores de hoje são digitalmente mais inteligentes, menos pacientes e têm opções quase infinitas disponíveis.

Na Now Economy, as comunicações não serão mais verticais, mas sim transversais e impulsionadas para o todo. Pessoas, dispositivos, sensores e aplicações estarão constantemente a comunicar, acelerando o ritmo dos negócios. Para as empresas, a Economia em tempo real caracteriza-se por uma aceleração substantiva dos processos de medição, avaliação e decisão de negócios. Implica uma comunicação instantânea e individualizada, bem como a redução da latência entre diferentes processos, principalmente a nível de logística.

Em 2020 estima-se que, nos Estados Unidos, as empresas de retalho irão ser capazes de entregar encomendas em 1,5 horas após a encomenda online.

Os avanços tecnológicos aliados ao efeito Amazon, que começou nos EUA e já afeta a Europa há alguns anos, foram os principais responsáveis pela era da Now Economy que nos encontramos. A possibilidade de compra à distância de apenas um clique, a partir de casa ou de um telemóvel, a preços extremamente competitivos, com uma seleção alargada de produtos e entrega rápida são os motivos que fazem da Amazon o paraíso dos consumidores e o pesadelo da concorrência.

Efeito Amazon Blog AltronixPodemos dar como exemplos de serviços imbatíveis oferecidos pela Amazon, o Prime Wardrobe, que permite experimentar roupa antes de comprar, e o Instant Pickup, um serviço que faz a entrega das compras em apenas 2 minutos. Sim, leu “dois minutos”. Permite aos clientes obterem as compras realizadas online dois minutos depois de esta ter sido efetuada, graças a pontos de recolha que a empresa instalou nos EUA.

A Amazon já causa impacto nas vendas em Portugal há alguns anos, com as entregas a partir da Amazon Espanha. A ausência de custos de envio e a velocidade de entrega das encomendas reforçou essa situação. E, numa altura em que o mercado português preocupa-se com a entrada dos supermercados Mercadona, haverá espaço estratégico para esta batalha digital?

A Amazon poderá entrar com uma operação direta em Portugal

Estabelecendo-se no Porto, a sua entrada direta irá potenciar este impacto. Em comparação com outros mercados, o espanhol era considerado muito imaturo em matéria de vendas online. E agora, acontece o mesmo com Portugal. A quota do comércio digital, em 2011, era de 3% em Espanha, antes da entrada da Amazon, tal como em Portugal no mesmo ano. A mesma quota, em 2017, foi de 15% para a Espanha e de 5% em Portugal, segundo dados da GfK.

A fortíssima componente do Now Economy irá ter um impacto nuclear nos negócios nos próximos anos. Irá potenciar grandes negócios e fechar milhares de empresas. Para acompanhar este fenómeno, os gerentes de cadeias de distribuição serão forçados a ajustar as suas estratégias com ideias inovadoras para que não percam clientes fiéis.”

Rui Fonseca, CEO da Altronix Tweet

Assim como o consumidor mudou, também as práticas de gestão de armazém, logística e de produção das empresas têm de se adaptar para conseguir acompanhar as exigências deste novo tipo de cliente. E é precisamente neste momento que nasce a era cognitiva dos negócios.

A nova realidade da Now Economy, indissociável da Indústria 4.0, torna a agilidade e a capacidade de adaptação críticas para os negócios. É importante estar atento ao novo perfil do consumidor e certificar-se que está preparado para responder às novas exigências do mercado. Quanto mais depressa a sua empresa se adaptar melhor!

Podemos clarificar com mais pormenores todos estes argumentos e apresentar soluções reais e fundamentadas para o seu sector.

Artigo publicado por:
Raphaella Cristófano - Altronix
Raphaella Cristófano
Responsável de Marketing Digital na Altronix