Está a imprimir códigos de barras com erros? Veja como resolver

Para que o seu código de barras falhe, não são precisos muitos fatores, basta um.

Os erros mais comuns ocorrem maioritariamente devido à baixa qualidade de impressão e à baixa qualidade de dados. Os erros na produção de códigos de barras provenientes de má qualidade de impressão são mais fáceis de observar, por serem detetáveis a olho “nu”, mas os erros de dados são mais difíceis de desvendar.

Deste modo, é de extrema importância que se implemente uma prática de inspeção para que sejam detetados atempadamente.

A Altronix reuniu os 6 aspetos que vai querer ter em conta na hora de produzir um código de barras para garantir o sucesso e a qualidade do produto final.

1. Tamanho
A redução do tamanho de um código de barras pode retirar a eficiência na leitura. Em todos os casos devem ser respeitadas as regras de dimensionamento do Manual do Utilizador do GS1 Portugal.

2. Combinação de Cores
Algumas combinações de cores podem inviabilizar a captura automática de informação do código. De um modo geral, recomenda-se a utilização de cores escuras para as barras (preto, castanho, verde ou azul escuros) e cores claras para o fundo (branco ou amarelo).

3. Localização
Verifique o posicionamento do seu código de barras, se não está colocado numa superfície curva, ou se há espaço suficiente na embalagem para o acomodar. As superfícies curvas são mais difíceis de serem lidas pelos scanners pelo que não são um bom local para os códigos de barras. Confirme também que as áreas envolventes do seu código de barras estão em conformidade com os requisitos standard.

4. Qualidade de Impressão
Confirme a impressão do código de barras, se todas as linhas estão claras e visíveis, procure algumas imperfeições que podem ter ocorrido durante o processo de impressão. Os elementos constituintes do código de barras podem tolerar uma certa variação, mas quando a impressão excede esse limite, a probabilidade da leitura do código de barras falhar é elevada.

5. Precisão dos dados
O erro relacionado com a estrutura incorreta dos códigos de barras, é o mais difícil de detectar. Certifique-se da qualidade dos dados, se  a simbologia está devidamente identificada e estruturada mediante os standards. 

6. Verificação
O único método de verificação reconhecido universalmente é o ISO/IEC 15416 que determina o nível de qualidade de um código de barras impresso e pode realizar-se com um verificador. O verificador, ao contrário de um leitor de códigos de barras (quer seja leitor manual, fixo ou mediante uma aplicação de um telefone inteligente) analisa o código de barras com base em parâmetros ISO e garante que o código de barras vai ser lido a 100% nos scanners à primeira.

PORQUE DEVE VERIFICAR SEMPRE OS CÓDIGOS DE BARRAS?

A verificação in-line garante que o código de barras será legível por todas as partes da cadeia de abastecimento, facilitando o inventário rápido e a movimentação de mercadorias do fabricante para o grossista, para o retalhista e para o utilizador.

A má qualidade dos códigos de barras pode resultar em perda de produtividade, devoluções de produtos e multas dispendiosas. Assegurar que os seus códigos de barras impressos cumprem as normas de conformidade dar-lhe-á confiança de que serão aceites em qualquer lugar, por qualquer scanner.

Cada vez mais empresas em Portugal estão a utilizar estes sistemas para evitar problemas na sua cadeia de distribuição.

Artigo publicado por:
António Duarte - Altronix
António Duarte
Diretor Comercial da Altronix