Logistica Inversa | Blog Altronix

Logística Inversa – O que é e como poderá lucrar com ela?

O que poderá ser feito para impulsionar a logística inversa e quais os seus benefícios?

Mas calma… logística inversa? A logística inversa, também conhecida como logística reversa, refere-se à monitorização do ciclo de vida de seus produtos após a sua chegada ao consumidor final. Isto poderá incluir informação sobre como o produto pode ser reutilizado, como deveria ser descartado adequadamente após o uso, assim como outras formas de usabilidade do produto gerando valor, mesmo estando já expirado.

O Reverse Logistics Executive Council define a logística inversa como: “O processo de planeamento e controlo (de modo eficiente e económico) do fluxo de materiais, existências em processamento, produtos. Incluindo toda a informação associada, desde o ponto de consumo até ao local de origem para efeitos de recuperação de valor ou destruição apropriada.” [fonte: The Africa Logistics].

A partir desta definição, surge um conceito mais apurado: “É o processo de planeamento, implementação e controlo da cadeia da matéria-prima, do inventário em processo, e produtos acabados, desde do ponto de produção, distribuição ou uso, até ao ponto de recuperação ou eliminação adequada.” [fonte: Reverse Logistics: A Review of Case Studies].

Esta perspetiva da definição de logística inversa mantém a essência do conceito de logística em si, não se limitando a citar apenas os pontos de consumo e de origem, mas abrindo portas ao fluxo inverso, aplicável por exemplo em situações em que não houve efetivo consumo do produto, possibilitando a sua recuperação.

Logistica Inversa | Blog Altronix

A razão pela qual algumas empresas ainda não incluem a logística inversa nas suas atividades, deve-se principalmente à falta de um relacionamento saudável entre os vários intervenientes, estes não tem uma visão consensual desta variante da logística como a conhecemos, existindo ainda dificuldade em entender a logística inversa enquanto processo contínuo, válido e gerador de valor.

Os processos de recuperação direta dos produtos podem ser através de revenda, reutilização ou redistribuição; e de recuperação indireta: reparação, renovação, a reutilização num novo fabrico a partir do mesmo produto, a recuperação, reciclagem, incineração ou aterro próprio.

Em relação a custos, a logística inversa deverá ser vista como uma oportunidade e não uma ameaça ou uma despesa. A LI oferece a oportunidade para rever processos e procedimentos, culminando no aumento da transparência, gerando também lucro na cadeia logística, traduzindo-se a médio/longo prazo, numa diminuição dos custos globais ao longo da cadeia de abastecimento.

A Logística Inversa e a Logística Verde

A logística inversa pressupõe a existência de um retorno dos produtos vindos do consumidor até ao início da cadeia, reduzindo a quantidade de resíduos, podemos considerar que logística inversa está incluída no âmbito da logística verde ou ecológica.

Logistica Verde | Blog AltronixA logística verde ou ecológica diz respeito à análise da totalidade da cadeia logística, com o intuito de minimizar o seu impacto ambiental, desde a redução da utilização de recursos naturais não renováveis à minimização de emissões poluentes. Verifica-se a sobreposição dos conceitos logística inversa e logística verde, aquando por exemplo da reciclagem de um determinado produto.

A Logística Inversa e o Comércio Online

Outro fator de grande importância, e que está diretamente relacionado com a intensificação da logística inversa é a compra de produtos online. Como sabemos em Portugal as compras efetuadas remotamente quer pela internet quer por telefone, garantem ao cliente um determinado tempo legal para a devolução, seja qual foi o motivo.

A maioria das cadeias de abastecimento deixa de medir o sucesso de suas mercadorias quando o produto é entregue ao consumidor final. Embora isso possa ser uma medida precisa da satisfação do cliente e mensuração do lucro, ela não está a considerar todos os aspetos necessários.

E se o seu cliente receber um pedido incompleto? E se eles sentirem que o artigo encomendado não corresponde à descrição do produto? E se o cliente mudar de ideias relativamente à compra? Em todos os referidos cenários, o retorno do produto à origem é considerado logística inversa.

A maioria dos sistemas de logística inversa aparecem devido à questão das devoluções.

Quando os produtos não correspondem às expectativas dos clientes, estes acionam o processo de devolução, cada vez mais disponibilizado pelas empresas, de modo a ir de encontro a um serviço pós-venda cada vez mais atento as necessidades do consumidor.

Esta forma de atuação permite a fidelização do cliente, que cada vez mais prefere comprar a empresas que correspondam às suas necessidades e que consigam corresponder às suas expectativas, ou até proporcionar uma experiência de excelência e ultrapassá-las.

Relativamente às diferentes fases que o retorno de produto passaria na sua empresa:

  • O envio físico do produto devolvido (Cliente> Empresa)
  • Teste de qualidade do produto devolvido para replicar o erro ou identificar a falha
  • Registo e tratamento da falha (ou falhas) que levou a devolução do item
  • A desmontagem, reparação, reciclagem ou reabastecimento do item devolvido.

A gestão do fluxo inverso do produto de volta à cadeia de abastecimento pode ajudá-lo a evitar que as empresas evitem cometer o mesmo erro duas vezes, do mesmo modo permite a reutilização de tantos componentes quanto possível do seu produto [fonte: Kinaxis].

Monitorizar o fluxo da logística inversa

Existem quatro análises-chave que podem nos ajudar a entender o fluxo dos produtos que voltam a entrar na cadeia de abastecimento:

1. Volume. Os mesmos itens são devolvidos repetidamente? Isto acontece em grandes volumes? Se a resposta a qualquer uma destas perguntas for sim, provavelmente não terá simplesmente algumas unidades defeituosas, deverá considerar uma revisão do seu processo de produção.

2. Percentagem de vendas. Face ao valor global de vendas da sua empresa, qual é a percentagem usada para substituição de produto? E quantos itens recebidos de devoluções podem ser reintegrados na sua cadeia de abastecimento através da logística inversa? De acordo com um estudo do Aberdeen Group, a empresa produtiva média gastará de 9% a 15% da receita total em devoluções [fonte: Supply Chain Minded]. O que a sua empresa poderá fazer para minimizar essas perdas de receita? Como poderá transformar este problema numa oportunidade?

3. Condição em que o produto é devolvido. Logistica Inversa, QA | Blog AltronixO produto está a falhar após uma operação específica? Consegue determinar algum padrão de falha no produto devolvido? É aqui que a garantia de qualidade (QA) e a reparação de erros são importantes [fonte: Phone Arena]. Deve descobrir qual a falha de forma a adaptar e corrigir o problema antes que aconteça novamente.

4. Valor Financeiro. Sem monitorizar e gerir a sua logística inversa, a sua empresa poderá estar a  perder milhões de euros em valor potencial. De acordo com “Recovering Lost Profits by Improving Reverse Logistics”, os aparelhos eletrónicos vendidos nos mercados secundários representam cerca de 15 mil milhões de dólares (vendidos) nos Estados Unidos [fonte: UPS]. Estas empresas eletrónicas conseguem transformar a falha do produto em novos lucros utilizando logística inversa.

Os benefícios de sistemas eficientes de logística inversa

Enquanto muitas empresas ainda consideram o processo de retorno um mal necessário, as empresas que implementam um fluxo de trabalho de logística inversa eficaz acabam por obter resultados positivos [fonte: Cerasis], e os principais são:

  • Redução de Custos: com o planeamento antecipado das devoluções e fazê-las corretamente, as empresas podem reduzir em muito os custos (administrativos, recolha, transporte, suporte técnico, controlo de qualidade, etc.);
  • Serviço mais rápido: envio original de mercadorias e se necessário devolução / reenvio das mesmas. Reenviar ou substituir mercadorias rapidamente pode ajudar a restaurar a confiança de um cliente na sua marca;
  • Fidelização de clientes: lidar com erros é tão importante quanto fazer vendas. Se um cliente teve uma má experiência com um produto, para compensar a empresa não terá margem para falhas dali em diante. É preciso aprender a manter os clientes satisfeitos e fidelizados à empresa, mesmo e acima de tudo depois de cometer um erro;
  • Redução de perdas e lucros não planeados: recupere a perda de investimento num produto devolvido, consertando e o devolvendo ao mercado, descartando-o para peças ou adaptando-o de forma a ser integrado num mercado secundário. É necessário olhar para os produtos devolvidos e ver neles uma oportunidade de retorno que de outra forma, apenas custaria o dinheiro à empresa.
Logistica Inversa | Blog Altronix

A logística inversa permite acrescentar valor a produtos consumidos ou em fim de vida útil. Deverá ainda mais ser usada como uma manifestação prática da sustentabilidade e da responsabilidade social das empresas. Como tal deverá ser a outra face do desenvolvimento económico, daí ser tão importante a sua prática.

Agora que sabe que é possível obter lucro com a logística inversa e o retorno de mercadorias basta dar o primeiro passo 😉

Artigo publicado por:
Rui Fonseca
Rui Fonseca
CEO da Altronix