O Crescimento e as Tendências do Mercado de Congelados

O Crescimento e as Tendências do Mercado de Congelados

As exportações de alimentos congelados cresceram significativamente nos últimos anos, acompanhando a tendência de crescimento associada à força notável das vendas para o exterior. As vendas de alimentos congelados obtiveram um crescimento de 13,6% para os 567 milhões de euros em 2016. As exportações atingiram uma variação média anual de cerca de 17%, o que representa 305 milhões registados nos últimos 6 anos, de acordo com os últimos dados divulgados em 2017 no estudo setorial realizado pela Informa D&B.

Segundo o ramo de Oportunidades de Negócios da Enterprise Europe Network (rede de serviços que auxilia as empresas a modernizarem e a competirem melhor em toda a Europa) o propósito das parcerias de serviços de distribuição é gerar um negócio mais imediato, graças a cooperação entre produtores estrangeiros, incluindo pequenas empresas.

A Espanha é o mercado externo mais significativo para a indústria de congelados,

atingindo uma percentagem sobre as vendas totais de 48% no ano de 2016. Neste mesmo ano, as vendas portuguesas em Espanha cresceram 9,1%, alcançando os 273 milhões de euros. Em Portugal, concentram-se nos distritos de Lisboa, Porto, Braga, Leiria e Viseu uma grande parte das importantes empresas do setor de congelados, com 60% das 40 maiores empresas localizadas em algum destes cinco distritos.

Portanto, numa visão bastante confiante, o mercado de alimentos congelados na Europa poderá continuar num crescimento acelerado até 2020, segundo uma pesquisa do Research & Markets.

Industria de Congelados

Entre os vários fatores que estão a impulsionar este crescimento, destaca-se também a implementação da aquacultura e da mentalidade “fit“, aquela que segue um padrão alimentar mais saudável, sendo os peixes um dos alimentos essenciais para a saúde. Outro fator é a necessidade do consumidor ter uma vida mais prática. O seu dia-a-dia pede a facilidade em alimentar-se bem e prontamente. As indústrias dos alimentos congelados precisam ser capazes de oferecer refeições rápidas e práticas, mas não menos saudáveis. Ambas as situações afetam, positivamente e diretamente, a indústria de congelados.

Para responder a estas questões:

as indústrias de alimentos congelados estão atentas a vários aspetos como a qualidade e a simplicidade no preparo dos alimentos, bem como o design da embalagem que deve conter todos os dados necessários e atualizados relativamente à nutrição, ingredientes, rastreabilidade e validade. Para tal, os rótulos e etiquetas devem ser próprios para congelados, resistentes a todo o tipo de superfícies refrigeradas ou congeladas e suportando temperaturas negativas. Todo o material da embalagem deve ser suficientemente durável para se manter no congelador durante todo o processo, de maneira a não perder-se estas informações até chegar ao cliente final.

As empresas devem apostar na qualidade e originalidade visual dos seus produtos para conseguirem a preferência dos consumidores e um lugar de destaque mesmo nas prateleiras mais frias dos supermercados.

Artigo publicado por:
Sandra Rente - Altronix
Sandra Rente
Diretora de RH e Comunicação da Altronix